Buscar
  • Tênis na Mala

O Dia dos Mortos no México

Atualizado: 29 de Mar de 2019

Uma das decisões mais assertivas na programação de viagem que fizemos para o México em 2018, foi ter ido na época da “Festa dos Mortos”, festa tradicional no México e que toma conta de todo o país entre 31 de outubro e 2 de novembro. A Festa é considerada pela Unesco como Patrimônio da Humanidade e, para os mexicanos, a data é uma oportunidade de reunir a família e os amigos para comemorar a visita dos antepassados à Terra. Em todos os lugares que passamos durante a viagem nesse período, nos deparamos com a mistura fúnebre, mas ao mesmo tempo alegre, de altares coloridos com foto de pessoas que já faleceram, enfeites, caveiras, comidas e decorações típicas da região.


Foto em Valadoli de um altar típico da região. Apesar de simples, este é um dos mais bonitos que vi pelo México.


Um filme que conta a história dessa tradição e retrata bem o que vimos por lá é o “A Vida é uma Festa” da Disney. Vale a pena assisti-lo!



Nos dias que antecederam o Dia de Finados, estávamos em Playa del Carmen e, durante um passeio noturno na rua principal, encontramos muitas pessoas fantasiadas, já no clima da data comemorativa. As fantasias em referência ao Dia dos Mortos se misturavam com as fantasias de halloween, proporcionando um verdadeiro festival macabro!



Felipe no clima da Festa dos Mortos


Altares como este são vistos em todos os lugares na época da Festa do Mortos


Pessoas se vestem como a caveira típica mexicana para celebrar o Dia dos Mortos

Escolhemos o dia 02 de novembro, o Dia de Finados, para passar no XCaret, um parque que reunia uma infinidade de atrações para aquele dia especial. Durante a manhã ficamos por conta das atrações aquáticas e a noite nos preparamos, no parque mesmo, para assistir a programação cultural do Dia dos Mortos. Entre uma e outra apresentação artística, os “maridos” (Éramos 2 casais) pediram que fizéssemos pinturas em seus rostos, para que pudessem entrar no clima da festa, uma vez que outras pessoas no parque estavam também caracterizadas para a celebração.





Passamos o restante daquele Dia de Finados rodando o parque com as duas “caveiras” e dois “cocos” que tinham sido comprados, em uma barraquinha do parque, como suporte para bebida. Esses cocos eram talhados e os cortes formavam o rosto de uma caveira nem um pouco bem humorada.


As atrações musicais, teatrais e todas as barraquinhas do XCaret naquela noite, nos proporcionaram uma experiencia incrível com a cultura Mexicana que celebra os mortos!


O resto da noite no XCaret e os dias que sucederam a viagem foram de brincadeiras em torno do novo integrante da turma que ganhamos no Dia dos Mortos: o Juanito, nome dado a um dos cocos-caveira que adquirimos na festa. Juanito nos acompanhou em todas as programações após o Dia dos Mortos. Em muitas dessas programações, era notável que ele não estava gostando nem um pouco do passeio, por sua eterna cara de mau humor. rs Mas, mesmo assim, visivelmente pelas fotos, acredito que ele tenha curtido bastante a viagem conosco!


Bruna Lopes





32 visualizações