Buscar
  • Tênis na Mala

A maratona mais cheirosa do Brasil

Em fevereiro de 2019, tive o privilégio de ir com uma turma de 46 corredores saindo de Belo Horizonte com destino a Bento Gonçalves para a "Maratona do Vinho" que ocorre exatamente na época da colheita das uvas. O passeio foi proporcionado pela Endorfina, assessoria que faço parte como aluna.


Correr com o aroma de uvas prontas para serem colhidas, passando por vinícolas tradicionais conhecidas no mundo inteiro e tendo como vista parreiras a perder de vista carregadas de uva, foram algumas das experiências mais incríveis como corredora que já vivenciei.




Apesar do nome da prova carregar os 42km, optei pelo revezamento dessa distância com uma equipe de 4 integrantes. Escolhi correr o revezamento, para poder curtir bem a cidade e as vinícolas, pois nos poucos dias que ficaríamos por lá, já estavam programados passeios com degustações de vinho.


No dia da corrida o clima não poderia ser melhor: antes da largada, artistas da região com roupas tradicionais, cantavam em um palco músicas italianas, animando os corredores que estavam aguardando serem chamados para a largada. Durante a prova, passamos por estradas de terra e asfalto, vendo o tempo todo ao nosso lado parreiras carregadas de grandes cachos de uva, que permitiam a invasão extremamente agradável do aroma de uvas maduras durante longos percursos da prova.


Para completar a experiência, já no final do meu trecho de revezamento, tive a felicidade de registrar em minha memória uma cena belíssima, digna de uma pintura artística: lembro nitidamente que em um dos momentos da corrida pela estrada de terra, cheguei ao topo de uma grande subida e, nesse ponto, pude ver do alto que carregadas parreiras, em fileiras a perder de vista que desciam o morro, refletiam a luz dos primeiros raios de sol daquela manhã, revelando o contrastes de tonalidades das uvas que iam do lilás escuro ao verde bem claro, tudo isso em harmonia com o marrom claro da terra, das folhas verdes escuras das parreiras e o azul claro de um céu aberto com poucas nuvens. Realmente uma vista de tirar o fôlego! Nesse momento, parei de correr (até esquecendo que haviam outras pessoas me aguardando para seguir em frente ao revezamento) e, por poucos segundos, pude curtir aquele momento, ficando emocionada pela agradável sensação de ter vivido uma das experiências mais incríveis da minha vida.


Por Bruna Lopes

27 visualizações